“A batalha política do século será entre humanos e transumanos desumanos”, alerta filósofo Franco Berardi

Foto: Simonetta Candolfi / Divulgação

Autor: Ruan de Sousa Gabriel entrevista Franco Berardi para O Globo

Em quarentena, filósofo italiano escreve um ‘Diário da psicodeflação’ e afirma que a pandemia pode nos ajudar a sonhar o futuro não previsto por algoritmos.

O filósofo italiano Franco Berardi, o Bifo, aproveitou a quarentena em Bolonha para escrever um “Diário da psicodeflação”, publicado em inglês no blog da editora britânica Verso. “Nosso psicológico vem experimentando uma “deflação”, no sentido de uma bola que está soltando ar, caindo no chão, flácida.”

Autor de livros como “Depois do futuro” e “Asfixia”, Bifo participou de coletivos operários nos anos 1960 e sustenta que as novas tecnologias roubaram dos homens a possibilidade de sonhar futuros não previstos por algoritmos. Apenas a “reativação poética do corpo social” pode vencer a crise da imaginação, diz ele.

Em entrevista, Berardi afirmou que a recessão provocada pela epidemia pode inspirar arranjos sociais mais igualitários e sugeriu que a principal batalha política do novo século não será entre direita e esquerda, mas entre humanos e transumanos desumanos. Calma, nenhum ciborgue está vindo nos matar:

— “Transumanos desumanos” são os que exploram as novas tecnologias para criar um sistema tecno totalitário.

“O capitalismo como nós o conhecemos vai desmoronar. Os economistas negam os indícios de uma longa estagnação, mas está cada vez mais claro que não existe crescimento infinito. Os recursos do planeta — e os recursos do nosso sistema nervoso — são limitados. Temos uma alternativa: construir um novo paradigma de produção baseado na frugalidade, na reciclagem, na distribuição igualitária dos recursos, na redução da jornada de trabalho, na adoção completa das tecnologias que substituem o trabalho humano e em renda básica para todos. Ou seremos submetidos a um capitalismo tecno totalitário extremamente desigual e violento.”